A recuperação judicial é uma medida legal destinada a evitar a falência.

Possibilidade de reestruturação das empresas economicamente viáveis que passem por
dificuldades momentâneas, mantendo os empregos e os pagamentos aos credores.
Um dos grandes méritos apontados nessa legislação falimentar é a prioridade dada à manutenção da
empresa e dos seus recursos produtivos. Ao acabar com a concordata e criar as figuras da
recuperação judicial e extrajudicial, a nova lei aumenta a abrangência e a flexibilidade nos
processos de recuperação de empresas, mediante o desenho de alternativas para o enfrentamento
das dificuldades econômicas e financeiras da empresa devedora.

Pela Lei 11.101/05, o envolvimento direto do Judiciário é precedido de uma tentativa de
negociação informal entre devedor e credores, por meio de uma proposta de recuperação
apresentada pelo devedor a uma assembléia de credores. É o que a lei define como negociação extrajudicial.
Com a entrada em vigor da nova lei, surge uma nova solução para a superação da
situação de crise a que eventualmente estão sujeitas empresas dos diversos ramos de atuação.

Com inspiração na legislação norte-americana, o instituto da recuperação judicial vem para sedimentar no Brasil a possibilidade de soerguimento de empresas viáveis, para que continuem exercendo sua função social e estimulando o crescimento econômico no País.

Desde 2005 conquistando

nossos clientes por ser

referência no Brasil

A Murillo Lobo Advogados possui ampla experiência e reconhecimento na representação dos múltiplos interesses envolvidos em processos de recuperação judicial de empresas e falências,assessorando empresas em crise, credores com ou sem garantia, e atuando na Administração Judicial de processos.

O escritório patrocina casos relevantes nos estados de Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Bahia, e em todo o território nacional, atuando na reorganização de empresas das áreas de Alimentos, Energia, Engenharia, Distribuição, Logística, dentre outras.
Notícias Relacionadas

    A construtora e incorporadora Recep, durante Assembleia Geral de Credores ocorrida nesta última segunda-feira, 19 de abril de 2021, conseguiu chegar a um acordo com os seus maiores credores, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil e aprovou o seu Plano de Recuperação Judicial A ata da assembleia geral será encaminhada ao juiz do processo que, em seguida, abrirá vistas aos credores, à empresa recuperanda, ao administrador judicial e ao Ministério Público para se manifestarem sobre o resultado da assembleia. Finalizado este prazo os autos serão remetidos ao juiz para que homologue o resultado da assembleia. …

Reerguida terça-feira 30 março 2021 18:24  Por Fernanda Santos Varejista havia acumulado dívida de R$70 milhões em 2017 Divulgação A varejista Irmãos Soares S/A teve Plano de Recuperação Judicial aprovado por cram down em Assembleia Geral de Credores e homologado pelo juiz Péricles Di Montezuma, da 26ª Vara Cível de Goiânia. Além da Irmãos Soares, outras duas empresas do grupo também estão incluídas na decisão. Em 2017, a loja de materiais de construção acumulou uma dívida de R$70 milhões. A empresa quitou e também parcelou débitos tributários, cumprindo com suas obrigações fiscais e dispondo das certidões negativas. Apenas nos últimos dois …

Varejista de material de construção tem 12 lojas distribuídas em cidades de Goiás e Minas Gerais Por Ana Paula Ragazzi — De São Paulo 29/03/2021 05h01 O Grupo Irmãos Soares, rede varejista de material de construção do Centro-Oeste, obteve a homologação de seu plano de recuperação judicial na 26ª Vara Cível de Goiânia. A rede entrou no processo em 2017, por conta de uma dívida de R$ 70 milhões, somada à retração de suas vendas. O grupo teve o plano aprovado por credores em novembro. Agora, diz o advogado Murillo Lobo, com a alteração do artigo 61 da Lei de …

Mais Lidas
  • Atualização na Lei de Recuperação Judicial – 03/04/2021